• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Professores e funcionários da educação decidem que não retornarão com aulas em 2020

Categoria realizou assembleia neste sábado (12) e deliberou por greve em defesa da vida caso governo force o retorno às aulas presenciais

Publicado: 14 Setembro, 2020 - 15h15

Escrito por: CUT-PR com informações da APP-Sindicato

CUT Paraná
notice

Na manhã deste sábado (12) a APP-Sindicato realizou uma ampla assembleia, em ambiente virtual, na qual professores (as) e funcionários (as) de escola da rede pública estadual e das redes de 209 municípios decidiram por uma “greve em defesa da vida”. Os profissionais da educação já apontaram que cruzarão só braços contra a retomada das aulas presenciais durante a pandemia de Covid-19.  Mais de 2,7 mil profissionais que trabalham na educação pública do Paraná se cadastraram para participar da atividade. Os debates e as votações aconteceram através da plataforma de videoconferência Zoom.

O presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Silva Leão, explica que a paralisação será desencadeada caso o governo decida pelo retorno das aulas nas escolas em 2020. “A categoria está mobilizada e não aceitará qualquer imposição que coloque em risco à vida tanto dos estudantes e seus familiares, quanto dos profissionais que trabalham nas escolas”, disse.

“Essa é a posição correta, não é o momento de retorno às aulas.O movimento sindical, organizado por intermédio das Centrais, tem protocolos estabelecidos para o controle da Covid-19 e conseguiu, depois de muito esforço, a criação por decreto de lei, de um comitê tripartite para discutir a transição para o retorno à normalidade, quando isso for possível. O que não podemos é apressar as coisas e colocar em risco a comunidade escolar e todos os seus contactantes”, apontou o presidente da CUT Paraná, Márcio Kieller, na assembleia. 

Os(as) educadores(as) também deliberaram ações relacionadas com as condições de trabalho e ataques aos direitos dos(as) servidores(as) públicos(as). “Aprovamos um calendário de mobilizações para reforçar nossa resistência, especialmente neste momento complexo em que os governos têm promovido uma política de precarização da educação pública e de retirada de direitos da nossa categoria”, relatou a secretária de Finanças da APP-Sindicato, professora Walkiria Olegário Mazeto.

Esta foi a primeira vez que a APP-Sindicato realizou uma assembleia em ambiente virtual. A direção estadual do Sindicato deliberou pela organização da atividade desta forma para assegurar a participação de todos(as) com segurança, considerando as normas de prevenção contra a Covid-19, que impedem a aglomeração de pessoas.

“Realizar a assembleia de forma on-line foi um grande desafio, por conta da situação que estamos vivendo, sem poder fazer aglomerações. Apesar disso, assim como todas as lutas que enfrentamos, conseguimos organizar essa atividade com muito sucesso, garantindo a participação de toda a categoria no processo de construção e decisão da luta coletiva”, avaliou a secretária Geral da APP-Sindicato, professora Vanda do Pilar Santana.

Confira aqui o calendário de mobilizações aprovado na assembleia no site da APP-Sindicato.