• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Servidores participam de Expo Educação com várias críticas

Professores de educação infantil e trabalhadores de escola reclamam de questões relacionadas à carreira em evento da Semana de Estudos Pedagógicos

Publicado: 02 Agosto, 2018 - 08h59

Escrito por: Pedro Carrano / SISMUC

Pedro Carrano / SISMUC
notice

“Imagine o nosso salário! a falta de permanência. Neste semestre tive apenas dois momentos de hora-atividade no cmei”, exclamou a professora de educação infantil, Carla*, assim que questionada sobre por que estava levando materiais e a camiseta do Sismuc para dentro da Expo Educação, parte da Semana de Estudos Pedagógicos da prefeitura de Curitiba.

De acordo com a administração, o evento tem 19,5 mil inscritos, acontece até quarta (1), dentro da exigência permanente dos servidores por formação continuada. 

A novidade deste ano, de acordo com a gestão, é a participação também da comunidade, ao lado do funcionalismo público.

Porém, reações como a de Carla foram comuns. Os servidores, afinal, não queriam apenas participar de um evento, uma simples feira com estandes e inclusive com participação de entidades privadas. 

Por sua vez, os trabalhadores de escola e da educação infantil exigem valorização da carreira, concursos, hora-atividade de 33 por cento, entre outros pontos.

“Estamos aqui contra o desmonte da Educação promovido por Greca. Contra o indicativo de rever o plano de carreira, contra a diminuição de professores em sala de aula e pelo cumprimento da Lei 11 mil, valorizando a carreira na educação”, afirma Adriana Kalckmann, coordenadora do Sismuc.

Trabalho que busca resultado, mas o resultado é fruto do trabalho!

No espaço onde apresentavam trabalhos importantes realizados com a crianças, resultado da dedicação desses profissionais, eles também buscavam valorização.

“Qualquer forma de protesto é válida, queremos valorização, mas o evento aqui parece que foi mais para exibição do prefeito (Rafael Greca)”, afirmou servidora da regional CIC, que preferiu não se identificar.

“Há um déficit de servidores, por isso estamos aqui conversando com eles para levantar as pautas da educação infantil e dos trabalhadores de escola”, explica a coordenadora de comunicação do Sismuc, Soraya Cristina.

Material Mobilização, produzido pelo sindicato, foi distribuído para os presentes. 

*Nome alterado a pedido da servidora, para evitar incidentes ou perseguições em local de trabalho. 

carregando