• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

#18A: Manifestação em Curitiba será na Praça Santos Andrade às 17h

Dia Nacional de Lutas envolverá toda a sociedade nesta quarta-feira (18) em atos contra a Reforma Administrativa

Publicado: 17 Agosto, 2021 - 11h58 | Última modificação: 18 Agosto, 2021 - 10h08

Escrito por: CUT-PR

Gibran Mendes
notice

Nesta quarta-feira (18) servidores e servidoras de todo o Brasil vão cruzar os braços em defesa do serviço público. Trata-se do #18A, um Dia Nacional de Lutas, contra a Reforma Administrativa proposta pelo governo de Jair Bolsonaro. Na prática, a PEC 32/2020, que tramita no Congresso Nacional, significará a precarização e o fim do atendimento à população em atividades essenciais, como no caso da saúde e da educação. Em Curitiba, o ato está marcado para às 17h na Praça Santos Andrade, no centro da capital paranaense. 

“Estamos organizando nossas entidades para que somem-se aos atos não apenas em Curitiba, mas também em todo o Paraná. Uma reforma como esta, que mexe com toda a estrutura do serviço público no Brasil, está sendo tocada de forma irresponsável, sem diálogo e vem cheia de retrocessos para os servidores e servidoras, mas principalmente, para a classe trabalhadora que é quem depende do Estado no Brasil”, destaca o presidente da CUT Paraná, Marcio Kieller. 

Entre os retrocessos que estão na PEC destaque para a intenção de partilha na prestação de serviços entre o poder público e a iniciativa privada, o que na prática, representa uma privatização de determinados serviços. “Neste caso, fica evidente, que tudo que for possível extrair lucro será de responsabilidade da iniciativa privada e o que o capital desejar não envolver-se, ficará com o serviço público que estará cada vez mais sucateado e precário”, completa Kieller. 

Outros retrocessos apontado por especialistas é a proibição de adicionais por tempo de serviço, determinados tipos de licença e que deverá ter como consequência afastar a carreira pública como algo promissor para os jovens, sucateando a estrutura pública. “Não podemos deixar de fora desta lista, ainda, o fim da estabilidade que é o que garante a independência e autonomia dos servidores independentemente da gestão do momento. O serviço público no Brasil, além de sucateado, vai tornar-se um grande cabide de empregos de comissionados. Basta observarmos o que acontece hoje no Ministério da Saúde, cheio de militares sem qualificação, para termos uma pequena ideia do futuro próximo do Brasil caso a PEC seja aprovada”, projetou o presidente da CUT Paraná. 

Locais dos atos no Paraná: 

:: Curitiba: às 18h, na Praça Santos Andrade.

:: Maringá: ao lado do Terminal Maringá, às 16h30

:: Umuarama: em frente à UPA, às 9h, na Av. Ângelo Moreira da Fonseca, 786

:: Paranaguá: Praça dos Leões, às 17h. 

:: Ponta Grossa: ao lado do Terminal Central de Transporte Coletivo, às 18h30