• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Aniversário do Quarta Sindica: Gleisi Hoffmann e Sérgio Nobre analisam a conjuntura

Edição de número 50 comemorou 1 ano do programa

Publicado: 19 Maio, 2021 - 14h04

Escrito por: CUT-PR

Reprodução / Facebook
notice

O Quarta Sindical desta quarta-feira (19) foi especial. Além de ser o 50º programa, a edição também comemorou um ano ininterrupto no ar. Para celebrar esta data, os convidados foram a deputada federal e presidenta do PT, Gleisi Hoffmann e o presidente da CUT Brasil, Sérgio Nobre. Eles falaram sobre a importância da comunicação popular e sindical e fizeram uma análise de conjuntura sobre as constantes turbulências no País. 

 

Gleisi Hoffmann destacou o papel do programa nas pautas de repercussão da sociedade e que muitas vezes são caladas pela mídia comercial. "É um canal (de comunicação) que traz temas interessantes com comunicação direta que muitas vezes a mídia tradicional não tem olhar para isso”, destacou. Segundo ela, é preciso neste processo descriminalizar a política. “É um instrumento de luta. O embate que fazemos no parlamento, mas também a política dos movimentos sociais e do movimento sindical. Isso sempre foi alvo de ofensiva da direita”, apontou. 

 

O presidente da CUT Brasil, Sérgio Nobre, também destacou o papel do Quarta Sindical nos debates públicos. “A chamada grande mídia não nos dá espaço para mostrar o que está acontecendo no Brasil. Aí está a Eletrobrás e o risco que representa para a sociedade a sua venda. Vimos o que aconteceu no Amapá e agora corremos o risco de acontecer no País inteiro e não temos espaço para falar sobre isso”, comentou. Segundo Nobre, é preciso ampliar o diálogo com a classe trabalhadora.

 

“ Precisamos conversar com o povo sobre a enorme tragédia que acontece no Brasil. Estamos chegando na casa de 500 mil vidas perdidas. Seguramente, segundo apontam os especialistas, 70% destas mortes poderiam ter sido evitadas se não fosse o negacionismo e comportamento genocida do Bolsonaro. Quem morre é da classe trabalhadora, são os mais pobres. Precisamos deixar isso claro para o povo brasileiro. A fome está voltando. Famílias inteiras dormindo pelas calçadas. Crianças e idosos pedindo comida na porta do supermercado. O crime que ele está cometendo ao tirar o auxílio emergencial”, exemplificou. “Aqui temos este espaço que nos orgulha muito. Parabéns pela iniciativa”, completou Nobre.

 

O presidente da CUT Paraná, Marcio Kieller, destacou o papel do programa na aproximação da central com seus sindicatos e com a classe trabalhadora. “Foi a forma que encontramos para continuar próximos dos sindicatos, federações, confederações e com a nossa base. Construímos esse projeto em parceria com o jornal Brasil de Fato Paraná e chegamos há um ano de produção ininterrupta. Precisamos falar para dentro e para fora e o Quarta Sindical transformou-se em um importante, e reconhecido, instrumento de comunicação com este objetivo. Estamos satisfeitos com este primeiro ano e temos a certeza que continuaremos melhorando a cada nova edição sempre com um objetivo: trazer luz para temas que são obscuros de forma proposital pelos patrões e pelos veículos da mídia comercial”, destacou. 

 

Durante o programa ainda foram exibidos vídeos de lideranças de todo o País sobre a importância do programa e do projeto para a disputa de narrativas e para a comunicação popular e sindical. Temas como a construção do ato no próximo dia 26 de maio, pandemia de Covid-19, auxílio emergencial, a CPI da Covid-19, o mais recente escândalo do governo Bolsonaro no meio ambiente e muito mais você confere no programa. 

 

Confira na íntegra a edição especial do Quarta Sindical no vídeo abaixo. Não esqueça, toda quarta-feira, às 11h30, temos um compromisso: um novo programa com um tema de interesse dos trabalhadores e trabalhadoras. Você confere ao vivo em nosso perfil no Facebook, da CUT Brasil, Brasil de Fato Paraná e perfis e páginas parcerias que retransmitem o programa.