• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Em assembleia, técnicos da UFPR aprovam a paralisação no dia 15

Publicado: 10 Maio, 2019 - 09h55 | Última modificação: 10 Maio, 2019 - 10h00

Escrito por: Ascom / Sinditest

Ascom / Sinditest
notice

Na manhã desta quinta-feira (9), uma assembleia geral extraordinária convocada pelo Sinditest-PR reuniu a categoria no hall do prédio da Administração do Centro Politécnico da UFPR.

A reunião deliberativa marcou o início do diálogo entre a nova gestão do sindicato e os servidores técnico-administrativos, além de definir os encaminhamentos para a mobilização unificada em defesa da educação.

A aprovação de uma paralisação no dia 15 de maio foi primeira ação adotada pela categoria para frear o projeto de destruição das universidades públicas.

A manifestação iá acontecer na data marcada para a Greve Geral da Educação, que irá levar servidores-técnico administrativos, professores, estudantes, entidades representativas e movimentos sociais às ruas.

“A ideia é que a gente de fato una forças, some os esforços e faça grandes mobilizações em todo o país para barrar os ataques que estamos sofrendo, em especial na área da educação. Nesse dia de greve, a ideia é fazermos uma mobilização muito forte para mandar um recado a esse governo: não iremos aceitar o desmonte”, salientou o coordenador-geral da entidade, Daniel Mittelbach.

Concentração do ato será em frente ao Prédio Histórico da UFPR

No dia 15 de maio, a mobilização começará logo cedo. A categoria se reunirá a partir das 8h, na Praça Santos Andrade, no centro de Curitiba.

De lá, os servidores técnico-administrativos seguirão em caminhada junto com os professores das redes municipal e estadual de ensino, estudantes e todos aqueles que defendem uma educação pública de qualidade, promovendo uma grande marcha da educação rumo ao Palácio Iguaçu.

Além da manifestação do dia 15, a categoria também aprovou a construção de um processo de mobilização que some esforços na construção da Greve Geral do dia 14 de junho, que irá reunir a classe trabalhadora na luta contra o desmantelamento dos direitos sociais e barrar a aprovação da Reforma da Previdência.

Estratégias

A defesa do investimento e do respeito às bases democráticas da universidade pública também será promovida em ações de longo prazo.

Para promover o diálogo externo e interno sobre as ameaças representadas pela gestão do Governo Federal ao longo do primeiro semestre do ano, o Sinditest-PR irá trabalhar na construção de um calendário de atividades em conjunto com o restante da comunidade acadêmica através de uma campanha em defesa da universidade pública.

Independentemente da posição ideológica e político-partidária de cada um, esse é um momento de fortalecer nossa união como categoria e reforçar a unidade com toda a comunidade interna e externa, construindo uma grande luta contra os impactos dessas medidas nas universidades.