• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

NOTA PÚBLICA DAS CENTRAIS SINDICAIS DO PARANÁ

CONTRA A RETIRADA DO DECRETO DA QUARENTENA RESTRITIVA

Publicado: 17 Julho, 2020 - 22h53 | Última modificação: 17 Julho, 2020 - 23h32

Escrito por: Centrais Sindicais do Paraná

Divulgação
notice

As Centrais Sindicais do Estado do Paraná, que juntas representam milhões de trabalhadoras e trabalhadores paranaenses, vem a público manifestar sua indignação e repúdio a decisão do governador Carlos Ratinho Massa, de retirar o decreto de quarentena restritiva em diversas regiões do estado.

O governador toma essa decisão exatamente no momento em que os próprios dados oficiais apontam para um aumento considerável de mortes decorrentes do Coronavirus. No dia em que foi tomada tal decisão, 1.181 paranaenses já haviam perdido suas vidas e mais de 47 mil estavam infectados. Analisando os gráficos da evolução da doença, o cenário é mais trágico, apontando para um aumento considerável de infectados e mortos.

E diante desse quadro era de se esperar decisões que preservassem a vida e em vez disso o governo cede à pressão de setores do empresariado e prefeitos, preocupados com suas reeleições, deixando o interesse público, à vida das pessoas em segundo plano. Colocando o CNPJ dos grandes empresários à frente da vida das pessoas. Onde estão os créditos para as medias e pequenas empresas? Onde está a garantia efetiva para os trabalhadores e trabalhadoras, principalmente para os que atuam no chamado mercado informal, realizarem o isolamento social?

Numa democracia, os governos têm a obrigação de ouvir a sociedade. Afinal de contas, foram eleitos para governar para todas e todos. Isso significa ouvir, dialogar e tomar decisões que beneficiem a sociedade como um todo. Não pode ouvir apenas uma parte, cujo único interesse é preservar e ou aumentar seu patrimônio. O governador e os prefeitos precisam entender que estamos diante de uma decisão humanitária e não meramente econômica. Esta decisão pode ser a diferença entre a vida e a morte.

Neste sentido, queremos reafirmar que o momento é de aprofundar as medidas e orientações sanitárias e de isolamento social de proteção a vida das trabalhadoras e trabalhadores, com a contenção da disseminação do vírus e ao mesmo tempo, gerar ações propositivas e solidárias para garantir manutenção dos empregos, renda e direitos trabalhistas garantidos, para que possam enfrentar o isolamento com o mínimo de dignidade e segurança. O momento é de solidariedade e não de garantia ou ampliação de lucro.

As Centrais Sindicais consideram lamentável que o governo do Paraná ouça e atenda somente os interesses eleitorais de prefeitos e setores comerciais e empresariais do Estado, ignorando totalmente os representantes das Centrais Sindicais, Federações e Sindicatos, que foram eleitos democraticamente para ser a voz de milhões de trabalhadoras e trabalhadores. Vozes essas que tem, através de diagnósticos constantes e atualizados, em todos os setores da saúde, comércio, indústria, bancos, dentre outros, sistematicamente denunciado o aumento considerável do número de casos e principalmente de óbitos. Ao contrário de outras autoridades, nós não estamos nos omitindo.

Portanto, reafirmamos que neste momento que acabar com a quarentena restritiva no Estado significa ir na contramão da proteção à vida das trabalhadoras e trabalhadores e da população em geral.

Nesse sentido clamamos ao Governo do Estado que reveja esta decisão.


CSB - CENTRAL DE SINDICATOS DO BRASIL - PARANÁ
CSP - CONLUTAS - PARANÁ
CTB - CENTRAL DE TRABALHADORAS E TRABALHADORAS DO BRASIL - PARANÁ
CUT- CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES DO PARANÁ
FORÇA - FORÇA SINDICAL DO PARANÁ
INTERSINDICAL- CENTRAL DA CLASSE TRABALHADORA - PARANÁ
INTERSINDICAL -INSTRUMENTO DE LUTA - PARANÁ
NCST - NOVA CENTRAL SINDICAL DOS TRABALHADORES DO PARANÁ
PÚBLICA - CENTRAL DO SERVIDOR PARANÁ