• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Último Quarta Sindical de 2020 ao vivo traz retrospectiva do ano

Convidados foram ex-presidentes da CUT Paraná que também analisaram as perspectivas para 2021

Publicado: 16 Dezembro, 2020 - 12h55 | Última modificação: 16 Dezembro, 2020 - 13h48

Escrito por: CUT-PR

Reprodução
notice

A última edição ao vivo do Quarta Sindical em 2020 foi diferente. Em vez dos tradicionais dois convidados, desta vez três ex-presidentes da CUT Paraná participaram do programa para fazer um balanço de 2020 e analisar as perspectivas para 2021. Regina Cruz, Roni Barbosa e Beto von der Osten, avaliaram o caótico ano que está terminando e discutiram o que se pode esperar para o futuro no curto prazo. 

 

O atual secretário de comunicação da CUT Brasil, Roni Barbosa, destacou a reorganização do movimento sindical. “Este ano, que ainda não acabou, foi atípico e muito diferente. A principal transformação foi a necessidade do movimento sindical se readaptar a todo o mundo digital, ou seja, reuniões virtuais e um papel preponderante da internet. Foi o que levou a um salto no movimento sindical nesta área. Reorganizar os trabalhadores e a luta social sem o contato direto foi a principal diferença. Reorganização de assembleia, de reuniões, todas virtuais, todos tiveram que se readaptar”, avaliou. O grande prejuízo, segundo Roni Barbosa, foi a dificuldade para organizar grandes mobilizações. “Nosso olhar pela vida foi mais importante, preservando os trabalhadores, as direções, para que todos se cuidem. Esse foi o grande prejuízo. Se não fosse a pandemia teríamos muito mais mobilizações de resistência. Pode até ter ajudado o governo Bolsonaro a ter sobrevida maior e avançar em algumas coisas”, completou. 

 

Beto von der Osten, que atualmente é secretário de relações internacionais da Contraf-CUT, também destacou essa mudança de perfil e como ela obrigou o movimento sindical a se reinventar. “Os sindicatos se construíram fazendo greve e negando seu trabalho contra patrões e exploradores. Mas vem a pandemia e não pode mais fazer greve. Não pode aglomerar em frente aos locais de trabalho, fazer protestos e isso coloca o movimento sindical de ponta cabeça Nosso trabalhador também está mais no local onde estava, agrupados em locais de produção e serviço. Muitos deles, como os bancários que ficaram mais da metade em teletrabalho, mas porque as pessoas precisavam ficar protegidas. Fizemos uma pressão virtual no lugar. No caso dos bancários, colocamos os trabalhadores para agir a partir do seu equipamento nas redes sociais, fazendo pressões que funcionaram. Os bancos se submeteram, vamos dizer assim, à vontade dos trabalhadores e trabalhadoras atendendo suas demandas”, comentou. 

 

A ex-presidenta da CUT e vice-presidenta do PT-PR, Regina Cruz, destacou o papel dos trabalhadores e trabalhadoras da saúde, que agiram na linha de frente no combate à pandemia. Da mesma forma o papel dos sindicatos do setor para defender a saúde da categoria e, consequentemente, de toda a população. “Nossos trabalhadores, principalmente do serviço público e do SUS, foram e são a linha de frente neste combate. Foram eles que começaram a denunciar a falta de atendimento e material para proteção pessoal e coletiva. Esta foi uma das lutas da CUT e dos seus sindicatos. Fazer essa denúncia, seguida de uma grande luta para ter os EPI's para conseguir atender bem a população. Isso o movimento sindical conseguiu fazer bem. Cuidar da saúde destes trabalhadores para que cuidassem da saúde da população”, enfatizou. 

 

Eles ainda falaram sobre o crescimento do entendimento da importância de um estado forte, ações específicas de categorias, análise de conjuntura estadual, nacional e internacional, mobilizações online como no caso do Fundeb, perspectivas de proteção da classe trabalhadora contra a Covid-19 e muito mais. O Quarta Sindical especial de final de ano também recebeu mensagens de dirigentes de sindicatos e federações filiados à central. Nas próximas três quarta-feira o Quarta Sindical entrará em recesso. Mas, semanalmente, no mesmo dia e mesmo horário, às 11h30, faremos a retransmissão de programas que marcaram o ano. Não deixe de acompanhar e compartilhar. Confira, na íntegra, a edição especial de final de ano no vídeo abaixo: